Profissionais especialistas obtêm mais chances de aumento salarial

Aumento salarial e crescimento na carreira são os principais objetivos de quem procura por cursos de especialização. Com mercado de trabalho cada vez mais disputado, é fundamental investir em cursos de pós-graduação para se destacar em meio a tantos profissionais. Quem possui título de especialista tem mais chances de alcançar cargos mais altos dentro de uma empresa e obter aumento na remuneração salarial.
No entanto, antes de escolher o curso, o profissional deve atentar-se para o principal objetivo da sua carreira. Quem deseja fazer uma pós-graduação pode escolher entre dois tipos: lato sensu e stricu sensu. A pós-graduação lato sensu é voltada para profissionais que desejam atuar no mercado de trabalho e que queiram fazer uma especialização focada em uma área específica. Profissionais interessados em atuar na área acadêmica devem optar pela pós-graduação strictu sensu. Essa pós consiste nos cursos de mestrado e doutorado e é indicada para quem deseja seguir carreira de pesquisador ou professor universitário.
Profissionais que atuam na área de negócios devem investir nos cursos de pós-graduação lato sensu conhecidos como MBA, Master Business Administration. A especialização leva uma nomenclatura diferente, pois é voltada exclusivamente para quem deseja atuar na área de gestão empresarial. Diferentemente dos outros cursos de pós lato sensu, o MBA é indicado para profissionais que atuam no mercado de trabalho há pelo menos três anos e que tenham experiência no mercado.
Benefícios
Independentemente do curso de pós-graduação escolhido, quem faz uma especialização obtém diversos benefícios na carreira, como aumento salarial e ascensão profissional. Segundo pesquisa divulgada pela consultoria Robert Half, 66% dos profissionais com um MBA ou com pós-graduação tiveram alta salarial após a realização do curso. O estudo apontou ainda que 22% destes profissionais receberam mais do que o dobro do salário que recebiam antes, enquanto mais de 30% tiveram aumento entre 20% e 50%. A pesquisa foi realizada com 50 executivos do Brasil das áreas de TI, marketing e vendas, engenharia, finanças e contabilidade.
Na hora de escolher um curso de pós-graduação, atente-se para o conteúdo. Foque em cursos que trarão algo de novo ou que poderão lhe ajudar a solucionar problemas que enfrenta em sua vida profissional. A UPIS oferece cursos de pós-graduação lato sensu em Agronomia, Medicina Veterinária e Zootecnia; Tecnologia de Informação e Informática; Responsabilidade Social e Meio Ambiente; Administração; Contabilidade e Controladoria; Finanças e Auditoria; e Educação. Qualifique-se para o mercado de trabalho! Escolha uma pós-graduação da UPIS e seja um profissional diferenciado.

Fonte: Finance Directions Survey – Robert Half

Esta entrada foi publicada em Pós-Graduação e marcada com a tag , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a Profissionais especialistas obtêm mais chances de aumento salarial

  1. Genolândia Santana de Brito disse:

    Nós profissionais de Contabilidade REGULAR, precisamos de justificativa acerca da Resolução 1.461 de 17/02/2014, porque fomos violentados em nosso direito. E sendo de Competência da UNIÃO as questões de Tributos de interesse das categorias profissionais e não sendo possível fixação de valor por RESOLUÇÃO, entendes, por simetria que a isenção também compete a UNIÃO.
    A contribuição social devida aos conselhos regionais de fiscalização profissional tem natureza tributária,art. 149, da CF/88.
    A jurisprudência tem determinado que o valor dessa contribuição não possa ser fixado por simples Resolução,
    Art. 149. Compete exclusivamente à União instituir contribuições sociais, de intervenção no domínio econômico e de interesse das categorias profissionais ou econômicas, como instrumento de sua atuação nas respectivas áreas.
    Em nome do Direito Adquirido, o CFC-Conselho Federal de Contabilidade contemplou profissionais que exerciam a profissão contábil de forma irregular, deu uma bofetada na cara dos profissionais regulares da Instituição. Esses anos todos, profissionais que nunca pagaram o CRC foram abraçados pela Resolução 1.461 de 02 de fevereiro de 2014. Esqueceram que existe a Prescrição e a Decadência no Ordenamento Jurídico. Pois bem, deveriam devolver a anuidade que todos os profissionais regulares pagaram esses anos todos, isso é o Princípio da Isonomia, art. 5º da CF/88. Imaginem advogar devendo a OAB por mais de 10 anos, imaginem o médico sem CRM. É de causar indignação. Quem são nossos representantes?.
    Atenciosamente,
    GENOLÂNDIA SANTANA DE BRITO
    CONTADORA ESPECIALISTA EM AUDITORIA FISCAL E TRIBUTÁRIA
    E FINALISTA DO CURSO DE DIREITO
    CRC: AM-012795/O-2
    (92) 8155-0002

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>