Tecnologia da Informação: setor aquecido oferece diversas oportunidades

 

tecnologia-da-informacao

Com um mercado de trabalho em plena expansão, o setor de Tecnologia da Informação atrai cada vez mais estudantes para cursos de graduação na área. As oportunidades de atuação são inúmeras e permitem ao graduado escolher entre diversas atividades. Em entrevista concedida ao blog, o chefe do departamento de Sistemas de Informação da UPIS, Chico Schlabitz, fala sobre como está o mercado de trabalho, revela quais são as áreas de atuação do profissional graduado e relata o que se pode esperar para o futuro da profissão. Para ele, quem deseja se destacar na área deve “ser competente, entender do negócio, ter visão voltada para o cliente, trabalhar em equipe, saber comunicar-se e negociar”. Confira a entrevista completa!

 

 O que faz um profissional graduado em Sistemas de Informação? 

As funções que os egressos poderão exercer no mercado de trabalho são análise e projeto de sistemas de informação, suporte técnico de informática nas áreas de sistemas operacionais, rede de computadores e banco de dados, consultoria em tecnologia nas áreas de seleção de sistemas, sistemas operacionais, rede de computadores e banco de dados e gerência de projetos e gestores de TI.

 Quais são as oportunidades de atuação?

O profissional egresso do curso de Sistemas de Informação disponibilizado pela UPIS estará apto a atuar nas áreas de Tecnologia de Informação na indústria, no comércio, na área de serviços, no setor público, seja na esfera Estadual como na Federal, e também no segmento do terceiro setor. Poderá exercer funções como analista de requisitos, projetista de software, arquiteto de software, analista de testes, administrador de banco de dados, testador, gerentes de projetos, analista de redes e analista de suporte.

O profissional graduado na área encontra boas oportunidades? Como está o mercado de trabalho?

Não há qualquer dúvida, pois o mercado continua aquecido. Segundo a Rigth Management Consultoria, cerca de 200 mil jovens estariam empregados atualmente se tivessem formação no segmento de Tecnologia da Informação. Há dois anos esse número era 70 mil. Esses números demonstram a alta demanda por profissionais na área.

 

A área de Tecnologia tem crescido bastante nos últimos tempos. A que você atribui esse crescimento?

Para responder a esta pergunta, podemos pensar no início dos anos 2.000.

a.     O Google tinha a dimensão que possui hoje?

b.     As companhias aéreas vendiam tíquetes exclusivamente por internet?

c.      Os bancos possuíam a quantidade expressiva de caixas automáticos como hoje?

d.     Era possível a aquisição de um automóvel pela internet?

e.     Era possível ter um GPS em cada veículo automotor, inclusive para identificação de locais sensores de velocidade nas cidades?

f.       As transferências de fundos interbancários poderiam ser feitas em questões de segundos para qualquer lugar do Planeta?

g.     Havia mais de 200 milhões de telefones celulares só no Brasil, com possibilidades de receberem jogos, todos baixados da Internet como hoje?

 

Essas perguntas têm como pano de fundo um enorme segmento de mercado de trabalho para o desenvolvimento e a manutenção de software em franco crescimento.

 

O que os profissionais que atuam na área podem esperar para o futuro? O trabalho realizado pode ser modificado?

A resposta a esta pergunta possui duas vertentes. De um lado, face ao estabelecimento e à criação de novas tecnologias, o trabalho pode exigir novo cabedal de conhecimento técnico. Por outro lado, tudo que foi desenvolvido e está em uso na atualidade precisa ser mantido no futuro. Cito um exemplo que deixa alguns profissionais de cabelo em pé. No circuito do sistema bancário e não apenas no Brasil há um enorme legado de sistemas e programas de computador escritos na linguagem COBOL (um hit da década de 60). Com frequência, instituições desse mercado procuram por profissionais proficientes na escrita e na manutenção de programas desenvolvidos nessa linguagem.

 

No futuro, a demanda por mão de obra especializada na área será maior? Por quê?

Sim, mas isso não deve fazer do profissional um ser isolado. Cabe a ele, cada vez mais, estar pronto para ampliar sua gama de especializações. Com frequência maior, torna-se exigência do mercado haver profissional com certificação em tecnologia x ou y. Porém, para ele obter com facilidade as certificações, a base e o lastro obtidos na universidade fazem do profissional um ser especial, pois, assim, mais rapidamente ele poderá se adaptar e se ajustar às exigências da indústria.

O que o profissional deve fazer para se destacar no mercado de trabalho?

Ser competente, entender do negócio, ter visão voltada para o cliente, trabalhar em equipe, saber comunicar-se e negociar.

 

Qual o diferencial do curso de graduação em Sistemas de Informação da UPIS?

O curso forma profissionais com excelentes bases de tecnologia e com excepcionais conceitos e práticas de gestão, saindo para o mercado como ases em negociação, convivência e trabalho em grupo, capacitação única oferecida por um curso de Sistemas de Informação disponível no Distrito Federal e na sua área de influência. E aqui, sem citar nome, no início de 2013, uma aluna ainda não formada disse-me que havia uma única oportunidade de trabalho num órgão de governo em Brasília. Lá chegou e, quando o entrevistador perguntou sobre sua origem acadêmica, a conversa foi interrompida e a profissional foi contratada de imediato.

 

 

 

 

Esta entrada foi publicada em Sistema da Informação e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>